segunda-feira, 7 de setembro de 2009

dispensável

Terraço, Agosto 2008

Com tanto para fazer em Lisboa têm mesmo de começar pelo Terraço?
(isto do restaurante de "qualidade" (para não dizer "provavelmente inacessível aos lisboetas que costumam passar por aqui" - sim, porque o Terraço não é propriamente barato, mas sempre dá para pedir um café e ficar a ler que ninguém nos chateia) faz-me lembrar um lugar à beira-rio, lá para os lados de Santa Apolónia com um nome tão cool que enerva e um serviço digno de ser mencionado pela capacidade verdadeiramente incomparável de conseguir acordar a Miss Hyde que há em mim em tempo recorde...)

6 comentários:

Petit Bourgeois@Villa disse...

Faded pictures in my scrapbook
Just thought I'd take one more look
And recall when we were all
In the neighborhood

Here's a photo of the neighborhood
Here's the corner where we stood
Here's a snapshot of dad's old car
Never got us very far

Faded pictures in my scrapbook
Just thought I'd take one more look
And recall when we were all
In the neighborhood

And all those friends
Where did they go, I don't know
All those friends we used to know
In the neighborhood


Neighborhood, Jerry Leiber et al.

josepedromonteiro disse...

Há quem a veja ao contrário...


http://spectrum.weblog.com.pt/arquivo/2009/09/melhor_esplanad.html#comments

dri disse...

o tom da jornalista é um bocado parvo, ainda assim gosto mesmo desta esplanada. espero que quem "vê ao contrário" tenha razão e que este não se torne mais um espaço apenas para turistas que não se importam de pagar uma fortuna por uma refeição deslavada.

Anónimo disse...

Quanto ao lugar lá para os lados da Santa... escusavas de ser mazinha. Em que outro sítio - e com que outro nome cool - se bebe um cappuccino e se vê a Lia Gama a ler um livro? Pois só lá para os lados da Santa!

No Terraço mudava só os concessionários: mobilizem-se mas é para servir melhor, que estar vinte minutos à espera do menu e outros 20 da comida é patético. E que dizem se, querendo "agilizar o processo", como se diz, vamos ao balcão ter com os senhores estrangeirados que nos servem? Que só têm serviço de mesa.

Mas eu gosto muito de lá ir, ainda assim. E vou lá quando posso. E mostro-o às pessoas que conheço.

Tudo acaba.
HI&P Anon.

Beko disse...

Desde que me deixem lá ir na mesma é-me igual. É que, pensando que não, aquele espaço todo leva, de facto, a que qualquer pessoa lá possa ir, quase a qualquer hora. Se pertence a aldrabões não sei, mas não é nada mau...

"Tudo acaba" é pesarosamente dramático...

Anónimo disse...

Mas agora hão-de te lá deixar, se tiveres cartões gold ou coisa que o valha!

Eu só digo que eles, os que lá estão agora, deviam ser mais despachados a servir.

O pesaroso,
HI&P Anon.